Viagem ao obscuro

a costela dói

o dia inteiro

quando olho pela janela
e quando treino

o barulho doí
dói a frase feita e o orgulho

falar-me dói
dói escutar-te

as costas doem
doem as respostas

a matemática dói
dói a cena dramática

pensar dói
dói gritar

o amor dói
dói o rancor

estar ajoelhado dói
o joelho e o tornozelo

o dinheiro dói
dói ser inteiro

ser inteiro dói
dói mas vale a pena

o enterro dói
mas vive o poema

Sou uma fissura
Literal loucura

Fissurei a costela
Caí num bueiro, a tampa tava aberta

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s