O poeta dormiu

Quando eu escrevo poesia
recito no ar
eu liberto as palavras sem pensar
e depois as caço
com caneta e papel lanço um laço no espaço
o que fica é o retrato

Não do que penso
mas do meu antipensamento
por isso o que recito não é meu rosto em um lenço
é um retrato que desconheço
e quem eu conheço nem acredita
que sou eu quem escrevo

e aí eu digo
“não sou eu, são as vozes”
eles riem e me servem sorvete com nozes
mas eu não gosto de nozes!
e é caro pra caralho…
mas a nutri mandou comer
eu substitui pelo alho
que deixa cheiro no suvaco

Minha poesia é assecível
mas também é uma pedrada
tu quer entender tudo
ou não quer entender nada?
Minha poesia é acescível
eu não discrimino por idade, classe, cidade
por cor, saber ou sabor, por gosto
eu não julgo o que está posto

Mas eu descrimino o rosto
descriminalizo a insegurança, descortino o vergonha
agora até a RBS fuma maconha!

Minha poesia é açessível
é pra qualquer um poder ver
que estou errado o tempo todo
mas tanto faz, não quero nem saber

afinal, hoje em dia tudo tem aplicativo
tudo tem promoção ao vivo
ao vivo e personalizado
só não pode na globo beijo de viado!

O Itaú tem emoction
o Nubank é virtual
não deixe que te digam!
que te digam o que é real
eles acham que sabem o que é lógico e racional, mas nunca pararam pra ouvir Racionais

O Hélio que tava certo
e foi encontrar seu ponto
encontrou seu umbigo
e a energia explodiu
foi pra puta que pariu
e o poeta?

o poeta dormiu

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s