À vontade

Tem vontade que às vezes não passa
bati uma punheta
não passou
escrevi um poema
inda ficou
gritei pela janela
ela restou
fiz regressão, macumba e santo daime
foi e voltou

tem vontade que não passa
faça Sol ou chuva faça
olho e reolho (14x)
e ela tá lá
morro e renasço
não saiu do lugar
as palavras me acabam
e não me acaba essa vontade

mas acho que entendi
não posso fugir
fuga não há
só me resta então
à vontade abraçar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s